Clipping Diversos Portais – Grampo autorizado no Yahoo reflete uma regra e não exceção

Publicado em 10 de Outubro de 2016

A recente descoberta de um grampo legal praticamente ilimitado nas instalações do Yahoo, para a exploração e filtragem de conteúdo de emails, não deve ser vista como um caso isolado, apesar de sua magnitude diferenciada em relação a outros casos conhecidos. Esta é a opinião de Rodrigo Fragola, especialista em segurança da informação e CEO da empresa brasileira Aker, que desenvolve tecnologia para esta área.

Segundo o executivo, mesmo a contragosto de muitas empresas de telecomunicações e internet, todo e qualquer provedor de serviços instalado em solo americano é submetido a invasões e quebras criptográficas por órgãos de investigação, bastando para tanto uma alegação judicial de “interesses nacionais” envolvidos. Sabe-se de casos, aliás, trazidos à tona pelo WikiLeaks, em que o provedor nem sequer é avisado da operação em curso, quando esta envolve a iniciativa do Serviço Secreto de Inteligência (NSA).

“Desde 1994, as empresas norte-americanas de telecom já são submetidas a vistoria de dados e conteúdos de clientes de forma quase generalizada, por ordem de um ato governamental chamado CALEA (Communications Assistence for Law Enforcement) e que foi estendido para o tráfego de Internet a partir de 2005”, afirma Fragola.

Este conteúdo faz parte de uma notícia publicada em diversos portais. Para ler a matéria, clique em um dos links abaixo:

IT Portal 05/10/16
TI Bahia 06/10/16
IT Fórum 07/10/16

Tradução